Hoje existem 4 modelos de certificado digital no mercado: smart card, token, arquivo e em nuvem, o mais moderno.

Dentre os tipos de Certificado Digital para prescrições, não existe um modelo que abrange o “atributo específico” que identifica que o profissional é um médico, um dentista ou um outro tipo como o advogado, juiz, promotor etc.

Portanto, essa comprovação é feita na apresentação dos documentos específicos de cada classe para a autoridade certificadora.  As autoridades certificadoras são empresas autorizadas pelo ITI  Instituto Nacional de Tecnologia da Informação, a emitir os certificados padrão ICP- Brasil no mercado de acordo com o seu principal objetivo.

Se o seu objetivo principal é gerar prescrições on-line e assinar digitalmente, basta fazer um certificado E-CPF como qualquer Micro Empreendedor Individual (MEI).

Dentre as opções de Certificado Digital existem aqueles com validade de 1 ano (A1) do tipo “em arquivo” para baixar o programa no computador ou com validade de 3 anos (A3) nos tipos: token (pen drive), smart card e a novidade, o tipo em nuvem. Algumas empresas já oferecem o certificado em nuvem para até 5 anos, mas o padrão é 3 anos. Mais abaixo vamos explicar o que é esse tipo de certificado.

CRM Digital

Se você é médico e além de prescrever suas receitas online, também tem como interesse acessar sistemas de prontuário eletrônico do paciente (PEP), e usar serviços do sistema de Conselhos de Medicina pela Internet, você pode registrar um certificado digital no chip do seu cartão CRM – digital (Certificado de Identidade Médica).

O CRM-Digital é uma nova identidade que o CFM disponibiliza para os médicos. Nada mais é que o modelo smart card personalizado para o médico com algumas funcionalidade a mais. Porém, se você é médico e ainda não tem o CRM-digital, você precisará solicitar essa nova identidade junto ao CFM. Pagará uma taxa específica para depois colocar o seu certificado digital no seu chip.

Mas relembrando, se você é médico e quer apenas assinar documentos e suas prescrições digitalmente, todos os tipos citados acima poderão ser usados nas plataformas de prescrição digital.

Certificado tipo nuvem.

A novidade do mercado, são os certificados tipo Nuvem. Eles podem ser utilizados pelos dispositivos mobile. A diferença é que ao invés de se utilizar um Token, por exemplo, para guardar o arquivo do Certificado, utiliza-se os chamados HSMs. Eles são hardwares criptográficos altamente seguros auditados e fiscalizados pelo ITI.

Diferentemente de um Token ou Smartcard, o arquivo do certificado não fica em poder do seu titular. Na realidade, ele fica armazenado em uma sala cofre, cujo acesso é extremamente restrito, justamente para eliminar qualquer risco à integridade dos arquivos.

Para se ter uma ideia do nível de segurança, é neste mesmo “cofre” que ficam armazenados os dados das “Autoridades Certificadoras”. Eles são bem práticos, pois podem ser utilizados no desktop, tablets e smartphones. Eles permitem que o prescritor faça, por exemplo, uma receita de urgência no final de semana pelo celular.

Nessa modalidade, os arquivos dos titulares são acessados remotamente, via internet, sem a necessidade de utilização de mídias físicas. E o melhor! Esse certificado pode ter validade estendida de até 5 anos com dupla autenticação. (Você recebe um pin no celular ou utiliza a biometria para validar o processo de assinatura). Você ganha mobilidade e pode acessar as informações pelo celular.

Agora que você já conhece os tipos de certificado disponíveis no mercado, acesse aqui o passo a passo de como você pode fazer o seu.